Sala de Situação


Veja a versão deste documento em PDF

Data da atualização:

27/05/2020, às 09:30h



Versão anterior (10/05/2020)

PAINEL – UFPI – COVID-19

Ordinariamente atualizado a cada duas semanas, a não ser que precise de dados emergenciais.

Apresentação

A doença por coronavírus (Covid-19) é causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), nova variante de coronavírus, identificado como o agente causador da síndrome respiratória aguda grave que afetou a população da China em dezembro de 2019. No início de 2020, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou que se tratava de uma pandemia, caracterizada pela disseminação da Covid-19 em todos os continentes do globo, alertando para que as autoridades de saúde preparassem seus planos de contingência e de enfrentamento a um dos mais importantes desafios de saúde pública no século XXI.

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) instalou o Comitê Gestor de Crise. No Grupo de Trabalho sobre saúde, a equipe do Eixo 3 - Sala de situação elaborou o Painel UFPI Covid-19, cujo objetivo é apresentar um consolidado de informações sobre a evolução da pandemia Covid-19, com ênfase aos dados relacionados ao estado do Piauí.

O painel será atualizado sempre que houverem dados consistentes, que permitam fazer uma análise mais detalhada.




👉Destaques da nota

  • O número de casos e óbitos no Piauí dobra, em média, a cada 10 dias.

  • Água Branca, Esperantina, Lagoa do Piauí e Campo Maior apresentam, atualmente, as maiores taxas de incidência no Piauí.

  • Júlio Borges, Água Branca, Belém do Piauí e Pavussu são os municípios piauienses com maior taxa de mortalidade, na atualidade.

  • Todas as zonas de Teresina já reportaram casos do novo coronavírus em seus residentes.

  • A taxa de ocupação de leitos de UTI em Teresina já chega a 73,6 %;

  • O índice de isolamento social tem caído nas últimas semanas.


SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA INFECÇÃO PELO COVID-19 NO ESTADO DO PIAUÍ

No Piauí, até́ 23 de maio de 2020, foram confirmados laboratorialmente 3.390 casos de COVID-19. Destes, 1.708 (50,3%) são residentes na capital, Teresina. Foram confirmados 107 óbitos pela doença no Estado, representando uma letalidade de 6,2%. Dos 224 municípios do estado, 131 (58,5%) confirmaram casos em residentes (Figura 1). Destacam-se ainda que as 3 (três) maiores cidades do estado Teresina, Parnaíba e Picos acumulam o maior número de casos, seguidos de Esperantina, Campo Maior, União e Piripiri.

O histórico do número de casos suspeitos não foi divulgado até o momento pela Secretaria de Saúde do Estado do Piauí.

Figura 1: Distribuição de casos confirmados segundo município de residência, 19 de maio de 2020.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde do Piauí, 2020. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020. Dados sujeitos a revisão.

Quando analisada a incidência de casos (por 10 mil habitantes), o município de Cocal de Telha apresenta, até o momento, a maior incidência com 51 casos/10 mil habitantes, seguido dos municípios de Água Branca (34 casos/10 mil hab.), Esperantina (24 casos/10 mil hab.) Lagoa do Piauí (22 casos/10 mil hab.), e Campo Maior (20 casos/10 mil hab.) (Figura 2).

Figura 2. Incidência (10 mil hab.) de casos confirmados de COVID-19 segundo municípios, Piauí, 23 de abril de 2020.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde do Piauí, 2020. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020. Dados sujeitos a revisão.

Os coeficientes de mortalidade (por 10.000 habitantes) de COVID-19 por municípios é apresentado na Figura 3. O município de Júlio Borges apresentou maior taxa de mortalidade com 3.55 óbitos/10 mil habitantes, seguido dos municípios de Água Branca (2.87 óbitos /10 mil hab.), Belém do Piauí (2.80 óbitos /10 mil hab.) e Pavussu (2.72 óbitos /10 mil hab.) (Figura 3.). Teresina apresenta coeficiente de mortalidade de 0.57 óbitos por 10.000 habitantes.

Figura 3. Coeficiente de mortalidade (por 10 mil hab.) por COVID-19, segundo municípios do Piauí até dia 23 de abril de 2020.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde do Piauí, 2020. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020. Dados sujeitos a revisão.

Os casos confirmados de COVID-19 têm dobrado, em média, num intervalo de cinco dias no Brasil1. No Piauí, a média de dias para duplicação é de 7,5 dias, sendo que a quantidade de casos dobrou (representados pelas linhas verticais), pela última vez após 10 dias (Figura 4).

Figura 4. Tempo de duplicação do número de casos, no Piauí, até dia 24 de maio de 2020.

Fonte: Monitora COVID-19, Fiocruz, ICICT, LIS. Disponível em: https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/.

As mortes provocadas por COVID-19 têm dobrado, em média, num intervalo de cinco dias no Brasil1. No Piauí, as mortes provocadas por COVID-19 têm dobrado, em média, a cada 11 dias (Figura 5), sendo que a última duplicação ocorreu após 9 dias.

Figura 5. Tempo para dobrar o número de óbitos, Piauí, 24 de maio de 2020.

Fonte: Monitora COVID-19, Fiocruz, ICICT, LIS. Disponível em: https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/.

Mesmo com número de casos e taxa de incidência inferior à maioria dos estados brasileiros, o Piauí segue numa situação preocupante levando em consideração o número de leitos de UTI disponíveis para o atendimento aos pacientes com COVID-19. No dia 23 de abril de 2020, eram 49 (27,1%) leitos de UTI ocupados de um total de 177. Um mês depois, em 23 de maio de 2020, são 148 (62,4%) leitos de UTI ocupados. O Piauí conta hoje (23 de maio de 2020) com 237 leitos de UTI disponíveis para o atendimento de pacientes com COVID-19 (Figura 6). Observa-se ainda que a trajetória de ocupação dos leitos no PI é superior à projeção realizada pelo comitê científico de combate ao coronavírus do consórcio nordeste (C4). Em Teresina são 131 (73.6%) leitos de UTI ocupados do total de 178 disponíveis.

Figura 6: Trajetória do número de leitos de UTI disponíveis no Piauí e em Teresina. 23 de maio de 2020.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde do Piauí, 2020. Projeções do Comitê Científico de Combate ao Coronavírus, disponível em https://www.comitecientifico-ne.com.br/. O gráfico compara a trajetória do número de leitos de UTI já ocupados no Piauí (PI) e em Teresina (THE). Na linha tracejada, podemos observar a projeção realizada pelo comitê científico do consórcio NE.

A figura 7 apresenta os casos confirmados da COVID-19 nos bairros de Teresina, em 16 de maio de 2020. Verifica-se que todas as regiões apresentam casos da doença. Os bairros Itararé (zona sudeste), Jóquei (zona leste) e Ininga (zona leste) apresentam maior registro de casos, em números absolutos, com 54, 49 e 35, respectivamente.

Figura 7: Distribuição do número de casos confirmados acumulados, segundo zona de residência, Teresina-PI, 16 de maio de 2020

Fonte: Polícia Militar do Estado do Piauí; In loco. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020. Dados sujeitos a revisão.

O mapa da Figura 8 apresenta os casos confirmados da Covid-19 nos bairros de Teresina, em 21 de maio de 2020. Verifica-se que todas as regiões apresentam casos da doença. Comparando com o dia 16 de maio (Figura 7), os bairros Itararé (zona sudeste), Jóquei Clube (zona leste) e Ininga (zona leste) ainda apresentam maior registro de casos confirmados.

Figura 8. Distribuição do número de casos confirmados acumulados, segundo bairro de Teresina, 21 de maio de 2020

Fonte: Polícia Militar do Estado do Piauí; Base In Loco. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020.

A figura 9 apresenta a incidência (1.000 habitantes) da COVID-19, segundo bairros de Teresina, em 18 de maio de 2020. Verifica-se que, dos dez bairros com maiores taxas de incidência, sete estão localizados na Zona Leste: Tabajaras, Morros, Jóquei Clube, Cidade Jardim, Ininga, Horto e Ilhotas, respectivamente. Os bairros com maiores riscos para COVID-19 são: Tabajaras (13,8 casos/1.000 hab.), Morros (8,6 casos/ 1.000 hab.) e Jóquei Clube (8,3 casos/1.000 hab.).

Figura 9. Incidência (1.000 hab.) da COVID-19, segundo bairro de Teresina, 18 de maio de 2020.

Fonte: Polícia Militar do Estado do Piauí; Base In Loco. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020.

Índices de Isolamento

O índice de isolamento social nos municípios do Estado do Piauí para o dia 16/05/2020 podem ser visualizados no mapa da Figura 10. Verifica-se que todos os municípios permanecem com índice de isolamento social abaixo de 70% que é o valor recomendado pelos órgãos de saúde. De um modo geral, a maioria apresenta valores abaixo de 50% de isolamento.

Figura 10. Índice de isolamento social nos municípios do Estado do Piauí, comparando os dias 10 de abril e 15 de maio de 2020.

Fonte: Polícia Militar do Estado do Piauí; Base In Loco. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020.

Para verificar o aumento ou diminuição do isolamento social, foi calculada a diferença entre os índices de isolamento social no período compreendido entre os dias 15 a 17/05 e 18 a 19/05 (Figura 11). Verifica-se que a maioria dos municípios reduziram o índice de isolamento, com destaque para a capital do Piauí que apresentou decréscimo de 8 a 11% desta medida.

Figura 11: Diferença entre os índices de isolamento social nos municípios do Estado do Piauí. 15 - 17 e 18 - 19 de maio de 2020.

Fonte: Polícia Militar do Estado do Piauí; Inloco. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020. Dados sujeitos a revisão.

A figura abaixo apresenta a evolução da taxa de incidência (100 mil habitantes) da Covid-19 nas 11 Regionais de Saúde, do Piauí, de 28 de março a 25 de maio de 2020. Observa-se que, ao longo do tempo, a regional Entre Rios teve maior taxa de incidência. Tabuleiros do Alto Parnaíba apresentou um aumento acentuado no risco de adoecer por Covid-19. No dia 25 de maio, Entre Rios (169,6 casos/100 mil hab.), Tabuleiros do Alto Parnaíba (108,5 casos/100 mil hab.) e Planície Litorânea (101,3 casos/100 mil hab.) tiveram as maiores taxas de incidência, respectivamente.

A figura a seguir apresenta a evolução da taxa de mortalidade (100 mil habitantes) da Covid-19 nas 11 Regionais de Saúde, do Piauí, de 28 de março a 25 de maio de 2020. Observa-se um aumento acentuado na taxa de mortalidade na regional dos Tabuleiros do Alto Parnaíba. Destaca-se que as regionais Serra da Capivara e Vale do Canindé não apresentaram óbitos entre seus residentes. No dia 25 de maio, Tabuleiros do Alto Parnaíba (6,3 óbitos/100 mil hab.), Entre Rios (4,9 óbitos/100 mil hab.) e Vale dos Rios Piauí e Itaueira (4,3 óbitos/100 mil hab.) tiveram as maiores taxas de mortalidade.

REFERÊNCIAS

  1. MonitoraCOVID-19. Disponível em: https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/.

  2. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS): Guia de Vigilância Epidemiológica do COVID-19. Disponível em https://covid.saude.gov.br


Equipe de Elaboração

Nota técnica 01, 24 de Maio de 2020.

  • Beatriz Fátima Alves de Oliveira - Enfermeira e Pesquisadora em Saúde Pública da Fiocruz Piauí

  • Bruno Guedes Alcoforado Aguiar - Departamento de Medicina Comunitária (UFPI); Centro de Inteligência em Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados (CIATEN).

  • Flávio Furtado de Farias - Curso de Fisioterapia, Universidade Federal do Delta do Parnaíba.

  • Francisco de Tarso Ribeiro Caselli - Curso de Engenharia de Produção (UFPI).

  • Jefferson Cruz dos Santos Leite - Departamento de Matemática (UFPI).

  • Juliana Gonçalves de Sousa - Geoprocessamento (IFPI).

  • Juliana Soares Severo - Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Alimentos e Nutrição (UFPI).

  • Maria Zilda de Oliveira Conceição Lima - Engenharia Cartográfica e de Agrimensura (UFPI)

  • Osmar de Oliveira Cardoso - Núcleo de Estudos em Saúde Pública-NESP, Departamento de Bioquímica e Farmacologia (UFPI).

  • Péricles Luiz Picanço Jr. - Departamento de Transportes (UFPI).

  • Rita de Cassia de Lima Idalino - Curso de Estatística (UFPI).

  • Roniele Araújo de Sousa - Núcleo de Estudos em Saúde Pública-NESP (UFPI).