Sala de Situação

Publicada em 12/04/2020

Veja a VERSÃO ATUALIZADA

PAINEL – UFPI – COVID-19

Data de publicação: 12/04/2020

Apresentação

A doença por coronavírus (Covid-19) é causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), nova variante de coronavírus, identificado como o agente causador da síndrome respiratória aguda grave que afetou a população da China em dezembro de 2019. No início de 2020, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou que se tratava de uma pandemia, caracterizada pela disseminação da Covid-19 em todos os continentes do globo, alertando para que as autoridades de saúde preparassem seus planos de contingência e de enfrentamento a um dos mais importantes desafios de saúde pública no século XXI.

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) instalou o Comitê Gestor de Crise. No Grupo de Trabalho sobre saúde, a equipe do Eixo 3 - Sala de situação elaborou o Painel UFPI Covid-19, cujo objetivo é apresentar um consolidado de informações sobre a evolução da pandemia Covid-19, com ênfase aos dados relacionados ao estado do Piauí.

1) Monitoramento de morbimortalidade


1.1 Doença pelo novo coronavírus (Covid-19)

Até o dia 06.04.2020, o Brasil apresentava 12.056 casos confirmados de Covid-19 e 555 óbitos pela doença, sendo o terceiro país em número de casos. Naquela data, a letalidade chegava a 4,6% e a taxa de incidência era de 5,7/100.000 habitantes. O Piauí contava com 26 casos confirmados e elevada letalidade (15,4%). Embora com menos casos em relação aos vizinhos Maranhão e Ceará, o Piauí destaca-se pela elevada letalidade, o que pode ser explicado pela testagem direcionada a pacientes graves e óbitos. Os casos confirmados concentram-se em Teresina, tendo sido observados casos e, pelo menos dois óbitos, em municípios da região Norte do estado (Tabela 1).

Tabela 1: Dados dos casos de Covid-19, 06 de abril, 2020

Fonte: Boletins epidemiológicos das Secretarias Estaduais de Saúde e Ministério da Saúde. *100.000 habitantes.

A Figura 1 apresenta a evolução do número acumulado de casos de Covid-19 segundo data de registro ao Ministério da Saúde nos nove estados da região Nordeste, no período de 06 de março a 12 de abril de 2020. Os estados como maior número de casos confirmados são Ceará, Pernambuco, Bahia e Maranhão. Esse ranking pode variar conforme novos casos sejam confirmados a partir de exames laboratoriais em processo.

Figura 1: Casos acumulados de Covid-19 segundo data de registro. Estados da região Nordeste, Brasil - 06 março a 12 de abril de 2020.

Fonte: Painel Coronavírus, Ministério da Saúde, 2020.

A Figura 2 apresenta a evolução do número acumulado de óbitos por Covid-19 segundo data de registro ao Ministério da Saúde nos nove estados da região Nordeste, no período de 06 de março a 12 de abril de 2020. Os estados com maior número de óbitos são Pernambuco, Ceará, Bahia e Maranhão.

Figura 2: Óbitos acumulados por Covid-19 segundo data de registro. Estados da região Nordeste, Brasil - 06 março a 12 de abril de 2020.

Fonte: Painel Coronavírus, Ministério da Saúde, 2020.

A Figura 3 apresenta a evolução da taxa de letalidade por Covid-19 segundo data de registro ao Ministério da Saúde nos nove estados da região Nordeste, no período de 06 de março a 12 de abril de 2020. A taxa de letalidade é a relação entre o número de óbitos por Covid-19 em relação ao total de casos diagnosticados dessa doença. Apesar de não apresentar o maior número de casos confirmados, o estado do Piauí apresenta a maior taxa de letalidade por Covid-19, seguido por Paraíba, Sergipe e Pernambuco.

Figura 3: Taxa de letalidade por Covid-19segundo data de registro. Estados da região Nordeste, Brasil - 06 março a 12 de abril de 2020.

Fonte: Painel Coronavírus, Ministério da Saúde, 2020.

A Figura 4 apresenta mapas com a distribuição dos casos suspeitos de Covid-19 notificados no estado do Piauí segundo município de residência. No mapa à esquerda, percebe-se dispersão de casos suspeitos em todas as regiões do estado, levando a considerar que as equipes de vigilância epidemiológica estão alertas para a identificação, notificação e diagnóstico dos casos. No dia 28 de março de 2020, 34,4% dos municípios haviam realizado notificação sobre a Covid-19. No mapa da direita, encontram-se destacados os municípios com casos confirmados de Covid-19, demonstrando ainda uma certa concentração de casos confirmados na região Norte do Piauí, sobretudo na capital Teresina.

Figura 4: Casos notificados e confirmados de Covid-19 segundo município de residência. Piauí, 28 de março de 2020.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde do Piauí, 2020. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020.

A Figura 5 apresenta a relação dos casos confirmados e descartados de Covid-19, conforme os boletins epidemiológicos dos estados da região Nordeste no dia 12 de abril de 2020. Os estados com menores percentuais de casos confirmados foram Piauí (4,6%), Sergipe (6,9%) e Paraíba (11,8%).

Figura 5: Proporção de casos confirmados e descartados de Covid-19. Estados do Nordeste*, 12 de abril de 2020.

Fonte: Boletins epidemiológicos das SES, 2020. *Pernambuco e Alagoas não divulgaram os casos descartados. **Dados de 11/04/2020.

1.2 Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

As internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), uma das manifestações graves da Covid-19, dispararam no Brasil nos primeiros meses de 2020 quando comparadas ao mesmo período do ano passado. No Piauí, janeiro e fevereiro estão compatíveis com o esperado ao mesmo período de 2019 (Figura 6). Porém, os dados de março do Piauí ainda estão sendo tratados para liberação oficial.


Figura 6: Taxa de internação (100.000 hab) por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)*, segundo mês de internação, Piauí, 2019 e 2020.

Fonte: Sistema de Informações Hospitalares do SUS, 2020. *Inclui internações de J09 a J18.

2) Monitoramento de capacidade de resposta


2.1 Leitos hospitalares

Os leitos hospitalares são estruturas muito importantes para a atenção aos pacientes com sintomas mais intensos que precisam de acompanhamento clínico direto. Assim, é muito importante conhecer a rede de leitos do estado para fazer o planejamento da disponibilidade desses leitos para a atenção à saúde que se fizer necessário. A Figura 7 apresenta a distribuição de leitos por município no estado do Piauí. A Figura 7A mostra a quantidade de leitos totais por município, a Figura 7B ilustra a distribuição dos leitos de internação enquanto a Figura 7C demonstra a quantidade de leitos complementares e a Figura 7D evidencia a quantidade de leitos de repouso.

Figura 7: Distribuição de leitos hospitalares por município. A) Leitos totais, B) Leitos de internação, C) Leitos complementares e D) Leitos de repouso. Piauí, 2020.

A) Total de leitos

B) Leitos de internação

C) Leitos complementares

D) Leitos de repouso

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde do Piauí, 2020. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020.

Da mesma forma que os leitos são fundamentais para atender a um grupo de pacientes que exige uma maior atenção, os leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) são imprescindíveis no manejo dos casos graves dos acometidos pela Covid-19, por isso, é muito importante conhecer a rede de leitos de UTI existentes no estado do Piauí. A Figura 8 apresenta a quantidade de leitos de UTI por município do estado do Piauí. A Figura 8A mostra os leitos totais enquanto a figura 8B evidencia os leitos SUS enquanto a Figura 8C demonstra a quantidade de leitos de UTI da rede privada por município do estado.

Figura 8: Distribuição de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) segundo município. A) Leitos Totais, B) Leitos SUS e C) Leitos privados. Piauí, 2020.

A) Total

B) SUS

C) Rede privada

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde do Piauí, 2020. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020.

3) Monitoramento de distanciamento social


O monitoramento realizado em parceria com o governo do estado e a startup in loco está gerando resultados do nível de isolamento social dos municípios piauienses. A proporção do distanciamento social, do dia 06 de abril de 2020, apresentava claramente uma divisão entre norte e sul do piauí. A região norte, com maior nível de distanciamento social (acima de 50%), enquanto a região sul ainda constava com vários municípios com abaixo de 50% de distanciamento social por localizações anônimas de aparelhos smartphones (Figura 9).

Figura 9: Proporção do distanciamento social segundo município. Piauí, 06 de abril de 2020.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde do Piauí, 2020. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020.

Durante a pandemia, 50% de isolamento talvez não seja suficiente. Para tanto, foram realizados algumas projeções de número de casos e mortes considerando 4 níveis de isolamento domiciliar: sem isolamento, 55% , 60% e 70%. Seguem projeções abaixo.

4) Projeção de casos


Utilizando os dados disponíveis nos sites do Ministério da Saúde, secretarias municipais e estaduais de saúde e com base em algumas médias tanto a nível de Brasil, como a nível dos estados do Maranhão e Ceará e considerando que a taxa de mortalidade a nível mundial é de menos de 1% e que a taxa de mortalidade brasileira está próximo a 5%, aplicaram-se regras fuzzy que juntos com a situação de estados vizinhos como o Maranhão e o Piauí nos leva a acreditar que o comportamento a nível de Piauí deve se comportar tal qual um sistema baseado em regras fuzzy (Leite et al, 2018).

Figura 10: Comparação do número de casos confirmados e previstos de Covid-19 no Piauí até 12 de abril de 2020.

Além do mais, também foram consideradas nas previsões a questão do isolamento domiciliar em 3 níveis: 55% , 60% e 70%. A proposta é avaliar periodicamente os números para que sejam verificadas mudanças de padrão da pandemia.

Figura 11: Previsão de casos e óbitos por Covid-19 e a capacidade de internamento hospitalar. Piauí, março a maio de 2020.

Assim, estima-se que o “pico” da doença seja por volta de 12 a 17 de maio, o que requer em cuidados redobrados principalmente nos 10 dias que antecedem essa janela prevista. Vale ressaltar, que a partir do momento que forem realizados testes mais precocemente, os resultados dessas previsões poderão ser mais robustos e com margem de erro menor.

Da mesma forma, é importante considerar o fato de a capacidade hospitalar entrar em um momento crítico a partir de 07 de maio, quando o município de Teresina deverá ter aumentado a disponibilidade de leitos provenientes de hospitais de campanha já em vias de construção pela Prefeitura de Teresina e Governo do Estado do Piauí.

Referência

[1]LEITE, J. C. S; SILVA, J. D. M. ; Cecconelo, M. S. ; Bassanezi, R. C. . Stationary points: two-dimensional p-fuzzy dynamical systems. COMPUTATIONAL & APPLIED MATHEMATICS, v. 1, p. 1-27, 2018.

Página publicada em 12/04/2020

Veja a VERSÃO ATUALIZADA

Equipe de Elaboração

  • Bruno Guedes Alcoforado Aguiar - Departamento de Medicina Comunitária (UFPI); Centro de Inteligência em Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados (CIATEN).

  • Carleandro de Oliveira Noleto - Departamento de Informática, Colégio Técnico de Bom Jesus (UFPI).

  • Clécio Francisco Vieira de Sousa - Departamento de Informática, Colégio Técnico de Bom Jesus (UFPI).

  • Flávio Furtado de Farias - Curso de Fisioterapia, Universidade Federal do Delta do Parnaíba.

  • Francisco de Tarso Ribeiro Caselli - Curso de Engenharia de Produção (UFPI).

  • Jefferson Cruz dos Santos Leite - Departamento de Matemática (UFPI).

  • Juliana Gonçalves de Sousa - Geoprocessamento (IFPI).

  • Márcio Dênis Medeiros Mascarenhas - Departamento de Medicina Comunitária; Programa de Pós-Graduação em Saúde e Comunidade (UFPI); Centro de Inteligência em Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados (CIATEN).

  • Osmar de Oliveira Cardoso - Núcleo de Estudos em Saúde Pública-NESP, Departamento de Bioquímica e Farmacologia (UFPI).

  • Péricles Luiz Picanço Jr. - Departamento de Transportes (UFPI).

  • Rita de Cassia de Lima Idalino - Curso de Estatística (UFPI).

  • Roniele Araújo de Sousa - Núcleo de Estudos em Saúde Pública-NESP (UFPI).